DIA DO IDOSO E ELEIÇÃO – PARA QUE TODOS OS DIAS SEJAM DO IDOSO


Para haver comemoração é preciso ação      

   Em 1º de outubro comemora-se o DIA INTERNACIONAL DO IDOSO, instituído pela ONU. As expectativas atuais de longevidade são motivos de comemoração. Entretanto, para que as comemorações não fiquem restritas a um só dia, as pessoas precisam fazer valer seus direitos, principalmente no que se refere aos serviços públicos. E isso, pode ser feito também com as mãos e mentes experientes dos próprios idosos. Como? É sobre isso que vamos falar adiante...

A terceira idade está se tornando um dos maiores grupos populacionais e está ficando cada vez mais longa, iniciando com os sexagenários e chegando até mesmo aos centenários. Por isso, essa fase pode ser mais uma oportunidade para novas expectativas, novos planos e para uma correção de rotas, usufruindo da experiência adquirida para potencializar tudo o que ainda pode ser vivido e aprendido. Pensando assim... dia 1º de Outubro, o “DIA INTERNACIONAL DO IDOSO”, deveria ser motivo de “festa”! E não é. É, ainda, um dia no qual se faz
necessário reivindicar o essencial: reconhecimento e respeito da sociedade em geral e do poder público. A instituição dessa data pela Organização das Nações Unidas foi pautada em princípios voltados para: a autorrealização, uma vida digna e segura, tratamento justo e atendimento das necessidades de saúde física e mental, a integração social (familiar/comunitária) e subsídios para que a independência e autonomia possam também se tornar longevas.
Buscando uma velhice saudável e feliz, todos almejam o que está contido nos princípios destacados pela ONU, tanto para si (enquanto idosos), como para seus familiares, amigos, conhecidos e pessoas em geral. E, para que isso não se configure apenas em documentos, como por  exemplo no Estatuto do Idoso, cada um deve agir  para expressar interesses, vontades, reivindicações e ideias sobre o trato com as demandas da terceira idade e com as questões públicas em geral. Uma das ações mais eficazes, nesse caso, é o voto.  É imprescindível optar pelos políticos cuja trajetória individual e do partido não estejam atreladas à corrupção, ou à falta de presença no trabalho, ou à falta de elaboração ou de apoio a bons projetos. Para isso é necessário se inteirar de programas de governo e das informações sobre a atuação dos candidatos, participar de grupos que discutam os assuntos relativos à qualidade dos serviços públicos e não ter medo de “mudar de político” e de partido, quando houver descontentamento. Além dessa dica inicial, destacamos outras que podem lhe ajudar a não se arrepender do seu voto e a não desperdiçá-lo:
  _ fugir do candidato populista que apresenta soluções milagrosas, parecendo ser um benemérito diante de questões complexas como saúde, educação, segurança, mobilidade (transporte, acesso...);
     _ não votar apenas por empatia religiosa, corporativista, de gênero ou raça,e sim pelo trabalho e realizações do candidato, independentemente de sua aparência ou grupo social;
    _  valorizar a trajetória de vida do político, mas valorizar igualmente o conhecimento (acadêmico/técnico) e experiência de trabalho com as ideias que ele defende;
      _   não votar só por uma indicação de amigos ou parentes, sem conhecer o trabalho do político;
  _ levar uma “cola” com os números dos candidatos, para evitar esquecimento ou engano ao votar...
Além de tudo isso, a dica que consideramos mais importante é a seguinte: Após a eleição, vença o candidato no qual você votou ou não, “marque presença” (mande email, escreva cartas, cole adesivo no seu carro com elogios ou críticas, ligue de tempos em tempos, visite gabinetes e sessões nas câmaras e assembleias...), indicando para esse político que ele está sendo acompanhado, fiscalizado e cobrado para que cumpra as suas promessas de campanha, atenda bem a população e faça o trabalho com eficiência.
O voto, para uma boa parte dos idosos que têm 70 anos ou mais é facultativo. Mas, lembre-se: as suas necessidades e ideias só serão consideradas se você agir como um cidadão. Tenha motivos para comemorar a sua condição de idoso todos os dias, além do dia 1º de Outubro. Para isso, participe da eleição, vá às urnas de forma consciente... VOTAR É PRECISO!
Feliz DIA DO IDOSO! E felizes sejam todos os seus outros dias também, vivendo num país que pode se tornar cada vez melhor graças à sua participação.
*Que tal começar a se manifestar, deixando o seu comentário sobre o tema dessa matéria?