EVITAR ACIDENTES NO TRÂNSITO – PARTE I: O IDOSO COMO PEDESTRE


Viver bem e com segurança em todos as situações, inclusive no trânsito!
             
Sendo um grupo da população que vem crescendo a cada década, os idosos estão se mostrando cada vez mais ativos, independentes e participativos. Sem dúvida é uma realidade social positiva. Diante da autonomia de locomoção observa-se maior exposição aos perigos do trânsito. Para auxiliar na prevenção de acidentes veja as dicas que selecionamos para você...

Andar a pé é a forma mais natural de nos locomovermos de um lugar para outro. Isto faz parte da genética humana, desde a pré-história, onde as pessoas andavam longas distâncias em busca de alimentação e habitação. Andar traz independência e é um excelente exercício em qualquer idade. Para os idosos então... é altamente recomendável! Prestando atenção (essa é uma palavra chave) e seguindo algumas recomendações é possível fazer caminhadas e passeios com prazer e segurança.
Esteja atento às seguintes orientações:

Ao andar procure superfícies em boas condições evitando aquelas com obras e mal conservadas e à noite transite por áreas bem iluminadas.
Observe os sinais de trânsito, entradas e saídas de veículos nas garagens e os outros pedestres. Toda atenção é importante.
Não corra riscos de atropelamento, fique visível. Ao se preparar para sair pense em roupas com tons claros e vivos. É um detalhe importante para que os motoristas possam ver os pedestres. É por isso que os agentes de trânsito usam roupas em tons fluorescentes pois assim são vistos de longe.
Ao atravessar fique alerta e olhe para todas as direções e não somente para aquela que é sinalizada. Lembre-se que além dos carros existem ciclistas, skatistas, motociclistas. Todos fazem parte do trânsito e por isso precisam ser observados e respeitados também.
Evite atravessar entre árvores ou carros estacionados e na frente ou atrás de ônibus.
O que fazer nos semáforos (faróis, sinais ou sinaleiras)? Primeiramente aperte o botão sempre que possível e se houver. Se não, espere o tempo eletrônico que marca o sinal de pedestre. Não tenha pressa, tenha paciência. Na dúvida não atravesse, espere a próxima mudança de cor.
Nunca confie que, por ser pedestre, você tem preferência de passagem com relação ao tráfego. Isso é o que está na lei de trânsito, mas os motoristas nem sempre são respeitosos e se esquecem de que o pedestre tem essa preferência. Reiteramos, na dúvida, não atravesse.
Outros locais que requerem o máximo de cuidado são os canteiros centrais e ilhas, que você deve usar quando não tiver opção, pois permanecer nestes locais é arriscado. Se não tiver opção e for passar por eles fique em estado de alerta, prestando atenção no vai e vem dos veículos  e analise as possibilidades de êxito antes da travessia.
O que fazer quando a mobilidade é reduzida? Opte pela prudência. Assuma suas limitações!
As limitações físicas e mentais às quais os idosos estão expostos são naturais do envelhecimento. Quando você sentir que sua mobilidade está reduzida e que tem alguma dificuldade de locomoção ou a visão diminuída, admita e procure se adequar a essa condição, tomando alguns cuidados como evitar caminhos perigosos e mal conservados. Preste atenção ao redor nas outras pessoas que estão transitando na calçada, na presença de animais, carrinhos de bebe, carrinhos de compras e assim por diante. Caso você utilize algum aparelho auxiliar como: óculos, próteses auditivas, bengalas, cadeira de rodas... observe se eles estão adequados às suas necessidades e se funcionam bem. Procure ajuda médica para isso.
Assim sendo, a segurança de mobilidade no trânsito, ruas, parques e outros locais irá contribuir para que você possa viver mais anos e com maior qualidade de vida. Pense nisso quando for sair de casa, pois sua vida vale muito! 






Nenhum comentário:

Postar um comentário